3 fatores que podem gerar conflitos na sua empresa

Administrar as diferentes formas como as pessoas abordam o trabalho pode ser algo complexo para lidar. Entretanto, sem essa administração fica mais difícil obter os resultados esperados do time.

conflitos em empresas

A forma como as pessoas abordam o trabalho e os seus perfis de trabalho tem muito a oferecer para a organização, mas também podem causar conflitos organizacionais e influenciar diretamente no ambiente de trabalho.

Organizações que trabalham diariamente para gerir melhor os conflitos desejam alcançar o chamado “atrito produtivo”, onde pessoas de perfis opostos conseguem unir suas skills, conciliam as características dominantes de cada uma e, sobretudo, as características mais propícias a gerar conflitos.

Só que antes de chegar ao atrito produtivo há várias fases a serem cumpridas.

Assim, até atingir a autogestão dos conflitos, há alguns fatores cruciais que podem gerar problemas no trabalho em equipe.

1 – O medo do conflito

Pepe Guardiola (ex jogador e técnico de futebol atualmente) disse a seguinte frase em uma coletiva: “Não estou lidando com jogadores, estou lidando com pessoas. Eles têm medos. Preocupam-se em falhar e parecerem bobos na frente de 80 mil pessoas. Eu tenho que fazê-los ver que sem uns aos outros eles não são nada”.

A cultura que Guardiola sempre trabalhou em seus times e continua sendo o grande fator de sucesso é a “confiança”.

De cobrança atletas entendem, pois o alto desempenho que é cobrado de cada um individualmente e coletivamente é gigantesco.

Dessa maneira, a grande sacada que Guardiola teve para o desempenho das suas equipes é a mesma que proporciona com que os conflitos sejam saudáveis: trabalhar uma cultura de confiança.

O medo do conflito é causado primordialmente pela ausência de confiança dentro de um grupo, equipe, empresa, etc.

Quando não há confiança, o medo do conflito se imerge e o termo mais coerente para se aplicar nessa situação é “medo do confronto”. Diferentes visões ou pontos de vistas, novas ideias e sair da zona de conforto possuem um grande potencial de gerar conflitos.

Só que conflitos são necessários, pois são eles a força motriz para inovação e crescimento.

A parte prejudicial para o clima organizacional é o confronto, ou seja, considerar que na hora do embate entre diferentes visões alguém tem que ganhar e alguém tem que perder.

Se não há confiança de todas as partes envolvidas no trabalho, tanto verticalmente quanto horizontalmente na estrutura organizacional, o medo do confronto será estabelecido. Diante disso, haverá uma piora no clima organizacional e nos resultados.

Veja também nosso eBook: Reconstruindo o setor de RH.

2 – Efeito cascata

É muito normal nas equipes de trabalho existir pessoas mais introvertidas, mais estressadas e menos adaptáveis. É mais normal ainda que essas pessoas fiquem caladas nas reuniões.

Uma pesquisa que saiu na Harvard Business Review de março de 2017 mostra que as pessoas mais introvertidas e/ou sensíveis são dotadas de determinados pontos positivos altamente benéficos.

Elas tendem a ser mais precisas e conscienciosas, boas em identificar erros e potenciais riscos, além de serem muito focadas e são excelentes em atividades que envolvem detalhes.

No entanto, o que costuma acontecer nas reuniões é o efeito cascata. Ou seja, as conversas são guiadas pelos mais extrovertidos graduando até os introvertidos.

Dessa maneira, tais momentos podem gerar uma espécie de autocensura retratada numa concordância dos introvertidos com os extrovertidos.

No entanto, o que pode estar acontecendo é o medo de parecer do contra, de ser punido por discordar e por parecerem que não sabem de nada já que estão sendo os últimos a falar.

Perder a integridade e confiança dessa parte do time que mais consegue fazer uma análise concisa e detalhista, gera consequências para todo o time, principalmente se for um time com um alto grau de otimismo e baixa reflexão.

Sobre esse ponto, é válido citar que a união de neurociência e tecnologia consegue realizar um diagnóstico rápido e profundo sobre os perfis profissionais e de personalidade.

Desse modo, a identificação dessas características do time em um curto intervalo de tempo, consegue prever os pontos de atrito que podem ocorrer no time e proporciona aos gestores decisões estratégicas rápidas e resultados palpáveis.

No mais, para não ocorrer o efeito cascata é vital encorajar os mais resguardados a falar logo no início.

Assim, para que aconteça naturalmente, prepare-os com algumas conversas sutis, tanto pessoalmente quanto por ligação, dando espaço para se prepararem.

Desse modo, eles poderão trazer as respostas ao que for perguntado e com a possibilidade de se expor em reuniões futuras, podendo deixá-los felizes em mostrar as suas ideias.

3 – A armadilha da ambição

Alcançar metas, promover a carreira e aumentar remuneração são alguns motivos que fazem os colaboradores se esforçarem e darem o melhor de si.

Dar o melhor de si é o anseio que toda empresa tem ao contratar os integrantes do time. Contudo, em boa parte das contratações, acabam se frustrando com os resultados de cada colaborador por não entender o que está por trás dos panos.

Quando a ambição do colaborador é combinada com hipercompetitividade e foco exclusivo na vitória ou resultado, a empresa pode enfrentar problemas de conflitos no trabalho.

Isso tudo acontece por cada colaborador ficar cego ao impacto das sua ações sobre eles mesmos e, inclusive, sobre os outros. Os relacionamentos e a colaboração são prejudicados, o time começa a buscar objetivos só para atingir metas e o trabalho perde o significado e os conflitos surgem com mais frequência.

O sentimento de “dever” se instaura e o time passa a agir como se regras rígidas fossem estabelecidas e algumas delas, de certo, podem ser prejudiciais, como uma auto supressão.

O trabalho pode ser uma fonte real de felicidade e será possível de alcançar essa felicidade se constantemente algumas reflexões forem feitas:

  • Será que minha ambição está me ajudando e/ou ajudando minha equipe?
  • Estou ficando muito preso ao que devo fazer e/ou a minha equipe deve fazer?
  • Estou fazendo escolhas que minam o meu potencial e/ou o potencial da minha equipe?

PARA SABER MAIS

Nosso texto sobre conflitos em empresas chegou ao fim, mas não deixe de conferir outros blogposts em nosso blog. Veja também nosso texto sobre cultura e gestão de equipes.

Quer entender mais como melhorar o setor de gestão de pessoas e potencializar os resultados da sua equipe? Entre em contato e saiba como nossas soluções podem te ajudar!

Se inscreva em nossa newsletter ; )

Compartilhe com seus amigos

Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

The best Upgrade

Escreva para a gente

Endereço

Rua México, 31 - Centro - Rio de Janeiro - RJAv. Ibirapuera, 2033 - Andar 8 - Moema - São Paulo - SPTyrol Business Center, 800, sala 603 - Tirol - Natal - RN